Greve Geral

A Brasa é uma empresa jovem, formada por gente jovem que está tentando fazer na prática as coisas de uma forma diferente. Aqui todos temos acesso aos resultados financeiros de forma aberta, é parte do nosso controle, assim como as formas de divisão e reconhecimento de trabalho, que são geridas pela própria equipe, de maneira horizontal. Sobre a paralisação da próxima 6a feira não foi diferente, compreendemos que é momento de todo brasileiro se posicionar, então assim, estamos o fazendo.

A equipe da Brasa irá aderir à paralisação nacional do dia 28/04/2017, pois consideramos este um exercício legítimo e consciente de cidadania. Os movimentos sociais e centrais sindicais convocaram essa greve geral nacional contra a reforma da Previdência e mudanças na legislação trabalhista propostas pelo governo de Michel Temer, e nós como cidadãos conscientes da importância dos direitos sociais adquiridos mediante muitas lutas dos que vieram antes, vamos atender a esse chamado.

Convidamos vocês a unirem-se a nós nesta reflexão e contamos com a compreensão de todos neste momento delicado que vivemos em nosso país. Estaremos disponíveis para esclarecimentos e emergências caso necessário.

Desde 1996 o país não tem uma greve geral

O último movimento que teve a proposta de paralisar o Brasil aconteceu há mais de 20 anos. “Desde 1996 o Brasil não vive uma greve geral. Os sindicatos estão mobilizando suas bases, aprovando a participação das categorias em assembleia“, disse João Cayres, secretário-geral da CUT.

Segundo Paula Marcelino, professora do departamento de Sociologia da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) da USP (Universidade de São Paulo), o que vai garantir o sucesso da greve geral é quais categorias vão aderir a ela. “Certas categorias têm uma capacidade de pressão mais expressiva, como os metalúrgicos, o setor dos transportes, petroleiros. Os professores, por exemplo, não têm praticamente nenhuma”, explica.

Estamos falando de um país de dimensão continental, mesmo para uma única categoria conseguir com que os trabalhadores parem em todos os Estados não é algo simples“, pondera Marcio Pochmann, professor do Instituto de Economia com com ênfase em políticas e do trabalho da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Diferentemente das greves gerais das últimas décadas, os temas tratados dizem respeito à problemas econômicos que são sentidos no bolso do trabalhador. “Além disso, há uma capacidade muito maior de mobilização que ultrapassa os sindicatos”, disse Pochmann.

Mas porque Greve? E pode?

Ligamos a TV e ouvimos no noticiário que os médicos entraram em greve deixando milhares de pacientes nas filas dos hospitais à espera de atendimento médico; que a educação sofre os efeitos das greves de professores que querem ter atendidas suas reivindicações; que determinada cidade está parada porque o sistema de transporte coletivo entrou em greve deixando a população em casa quando cada cidadão deveria estar em determinada empresa exercendo sua função.

Situações assim fazem com que se questionem as responsabilidades destes profissionais. Afinal, como pode um médico deixar seus pacientes, um professor deixar seus alunos? Para que serve e o que vem a ser uma greve?

Sobre o verbete greve o Grande Dicionário Larousse Cultural da Língua Portuguesa, afirma: “GREVE s.f. (De Grève, nome de uma praça em Paris, onde os operários sem trabalho reuniam-se para serem contratados.) Parada coletiva, voluntária e combinada do trabalho ou do estudo, para obter o atendimento de reivindicações”.

Ou seja, greve é, sobretudo, um instrumento de pressão dos trabalhadores sobre os empregadores, sejam as empresas ou o Estado, para que suas reivindicações sejam atendidas. Greve é uma paralisação de atividades de determinada área, feita em comum acordo, geralmente sob orientação de sindicatos que são os responsáveis por lutar pela garantia dos direitos da dita categoria.

Originalmente, quando acontecia uma greve ela chagava ao fim quando uma das partes vencia, em geral vencia o mais forte. Significa dizer que as greves não eram consideradas um direito dos grevistas e, portanto, não eram regulamentadas por lei. Com o tempo, porém, reivindicar melhores salários, melhores condições de trabalhos etc, passou a ser um direito dos cidadãos que podiam ser exigidos através das paralisações de atividades, isto é, das greves.

No Brasil, apesar de proibidas ao longo do período do regime militar, o direito à greve é atualmente assegurado pela Constituição Federal de 1988 – lei maior vigente no país -, que afirma em um de seus artigos:

Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.

§ 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

§ 2º Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei.

O que se pode perceber é que, como qualquer outro direito, o direito à greve traz em contrapartida alguns deveres como o de manter os serviços essências à comunidade e o de não abusar do direito sob pena de sofrer punições legais. Não se trata, portanto, de interromper atividades porque se quer ficar em casa, mas de reivindicar condições dignas de trabalho. Cada um que esteja envolvido deve estar ciente das condições, do que é seu direito mas também do que é seu dever enquanto grevista.

A experiência da greve, com o tempo deixou de ser uma ação específica dos trabalhadores, bem como ligada a atividade remunerada. Por isso é que se pode ouvir falar, por exemplo, em greve de fome. Alguém que resolve fazer greve de fome está, sem dúvida, reivindicando algo que lhe traz insatisfações.

A pressão que uma greve exerce sobre os empregadores acontecerá de forma diversa para os diferentes setores. Daí porque algumas categorias têm suas reivindicações atendidas mais facilmente que outras. Ou seja, o atendimento das reivindicações levará em conta os transtornos que a paralisação trouxer à sociedade. Assim, se, por exemplo, o sistema de transporte coletivo de uma cidade como São Paulo parar, as empresas terão muito mais pressa em entrar em acordo com os grevistas para que eles retornem ao trabalho, caso contrário, a cidade pára e a produção, consequentemente, também deixa de acontecer. Se, no entanto, se tratar de uma paralisação dos professores, as providências não são tomadas tão imediatamente como no caso anterior, pois os efeitos desta só serão percebidos muito posteriormente e, ainda assim, se alguém resolver observá-los.

Fontes: UOL, Mídia Ninja, Info Escola

Contribua com o WordPress no WP Translation Day

Entendo que muitas vezes a contribuição com WordPress fica focada em usuários técnicos, ou seja, desenvolvedores, designers, administradores de servidores, etc. O usuário comum, aquele que de fato usa a plataforma acaba ficando de lado e deixando de colaborar.

Mas existe um jeito fácil para o usuário comum colaborar com o software livre (e é uma das coisas mais importantes): ajudando na tradução.

E vendo a importância de trazer esse tipo de colaboração para dentro do WordPress, a comunidade do mundo todo está organizando um dia inteiro de palestras e informações desse tema. Será no dia 24/04: WPTranslationday.org.

Convido todos a acompanhar e quem puder, claro, usar esse dia para fazer conteúdo sobre tradução do WordPress.

 

WordCamp Sampa 2015 – Vamo que vamo!

A edição de 2015 que acontecerá no dia 28 de Novembro, terá sede novamente na conhecida PUC Consolação (ver Mapa)

Os WordCamps acontecem em varias partes do mundo, no Brasil felizmente muitas cidades também estão em um movimento de organização de novas edições. Este ano já tivemos edições em Belo Horizonte (13 de Junho), Rio de Janeiro (29 de Agosto) e Porto Alegre (31 de Outubro).

O WordCamp é um evento oficial com autorização da Fundação WordPress. Você pode conferir todas as edições na página oficial do WordCamp Central.

central

Página do WordCamp Central

O evento busca promover e compartilhar conhecimento sobre este incrível gerenciador de conteúdo que deixou de ser uma plataforma somente para blogs a muito tempo atrás e que hoje já domina mais de 60% da Internet nos EUA.

Considerado um Software Livre pela FSF (Free Software Foundation) o WordPress vem ganhando popularidade por manter uma comunidade engajada de colaboradores, uma rede de profissionais e instituições que se utilizam do mesmo como forma de alavancar-se na internet, bem como sua facilidade de instalação e uso, fazendo da internet um lugar para todos!

 

A equipe da Brasa está se preparando para aparecer em peso mais uma vez! Será nosso 6º WordCamp desde que começamos a contribuir com a comunidade, organizando Meetups, WordCamps e fazendo da internet um lugar de beleza única para todos! =)

A Brasa cobrirá o evento em sua página no Facebook e Twitter. Fique ligado!!!

Nos vemos por lá!

ListWP – Brasa é reconhecida por sua Arte!

Hoje recebemos uma ótima notícia que nossa empresa foi reconhecida por sua arte pelo blog ListWP em Julho deste ano, em um artigo que lista 10 interessantes empresas de desenvolvimento WordPress (10 Interesting WordPress Development Firms).

O ListWP é uma iniciativa que busca listar as empresas focadas em trabalhar com soluções em WordPress, com o objetivo de centralizar uma lista internacional, onde cada empresa pode apresentar seus produtos e serviços para pessoas que o buscam em todo o mundo.

ListWP_1

http://listwp.com/about/

 

A menção ao trabalho criativo e artístico, característica já reconhecida por nossos clientes, é o foco principal do comentário sobre a Brasa do autor do artigo, que ainda apresenta mais 9 empresas que estão, assim como a Brasa, revolucionando a web e o mundo WordPress.

 

There are many beautiful websites out there, but looking through the Brasa website is simply a joy to the eye. This Brazil based creative design company encorporates unique illustrations and authentic works of art inside the websites they build. With visually stunning pops of color, each unique creation by Brasa is meant to capture your attention. The outcome is truly astonishing, and redefines “thinking outside the box”.

Tradução Livre:

“Existem muitos websites bonitos por ai, mas visualizar o website da Brasa é simplesmente um prazer para os olhos. Esta empresa brasileira de design criativo incorpora ilustrações únicas e autênticas obras de arte em seus websites. Com deslumbrantes composições de cores, cada criação única da Brasa é feita para capturar sua atenção. O resultado é verdadeiramente surpreendente, e redefine o “pensar fora da caixa”.

Continuar lendo

#mobilegeddon – O Seu Site Está Preparado?

Como muitos já devem saber, a Google anunciou a um bom tempo atrás que iria aplicar uma mudança, que muitos tem chamado de “Mobilegeddon”, refêrencia ao Armagedom (Armageddon em inglês) descrito na biblia.

 

Todos sabemos da importância que as buscas do Google tem para o sucesso de muitos empreendimentos e qualquer modificação nas “regras do jogo” é sempre de grande preocupação. Estas mudanças requerem atenção e ações rápidas, pois todo seu trabalho de SEO pode ser descartado em segundos!

Continuar lendo

Sobre o WordCamp Salvador

Salvador é mágica. Pelo povo, pela história, pela beleza e pelo tempo. Estar na bahia é obrigatoriamente estar no tempo dos baianos, é sair do frenesi de sempre querer fazer o que precisa ser feito o mais rápido possível, para estar fazendo as coisas sempre, mas sem pressa. Aqui ou você vai de boa, ou você não vai à lugar nenhum. É estranho explicar como, mas tive a sensação nítida de que o Brasil começou aqui e pelo que percebi, as mesmas desigualdades, violências e inconsequências de que qualquer cidade grande também estão aqui 🙁

Bom, agora sim vou falar do evento, WordCamp Salvador 2014. O evento foi um sucesso de público com 153 pagantes, e mais cerca de 40 pessoas como palestrantes, organizadores, voluntários e micro patrocinadores (Comunidade). Fiz uma entrevista com o organizador Leo Baiano, que gostaria de compartilhar, segue:

Não peguei a abertura do evento, mas logo ao chegar e ver as pessoas ajudando, as estruturas, voltei no tempo, para Curitiba em 2010, o primeiro WordCamp local que foi feito no país, num formato mais universitário, mais comunitário, com menos status e mais trabalho humano. Cartazes de localização e indicação impressos em sulfite e um faculdade simples, mas estruturada, também me levaram ao passado.Tivemos a presença inédita de um Sagui em um WordCamp, aqui conhecido como Mico 🙂 Seguem algumas fotos:

A programação foi bem diversa com figuras conhecidas do cenário nacional, mas com um grande foco em palestrantes da região também, com contextos e sotaques mais semelhantes. O conteúdo ao meu ver foi em sua maioria para desenvolvedores, mas design e produção de conteúdo estavam sim contemplados, e bem contemplados por sinal. Senti falta de apresentações sobre negócios WordPress, tanto casos de sucesso como abordagens teóricas sobre o assunto.

Já conhecia o Leo de outros WordCamps (e WordCanas) mas agora pude conhecer melhor seu trabalho como líder da comunidade local e também estou impressionado. Seu Guia de Sobrevivência bem humorado e certeiro já me deu dicas do que estaria por vir, mas foi a matéria sobre o evento que saiu no WPTavern que deu a dimensão de sua capacidade de ação, parabéns a toda a comunidade WordPress soteropolitana.

 

Buscador do Google vai avisar usuários móveis se o site é responsivo

O Google, anunciou que pretende avisar na versão mobile do seu buscador se o site que aparece nos resultados é responsivo ou não. Veja um exemplo de como deve ficar:

Essa é uma grande novidade pra quem trabalha com WordPress, já que nessa área, design responsivo está presente na maioria dos temas criados. Além do mais, essa é uma forma de forçar sites antigos ou fora dos padrões a se atualizarem, já que isso pode acabar influenciando muito os usuários de dispositivos móveis, que hoje no brasil está chegando quase em 100 milhões de pesssoas.

O aviso deve começar a aparecer nas próximas semanas.

Mozilla lança nova versão do Firefox direcionada a desenvolvedores

A Mozilla, lançou, sob o nome de Firefox for Developer Edition, uma versão do Firefox voltada para desenvolvedores web. O navegador vem com grandes novidades uteis, como uma aplicação chamado Valence, que garante emular vários dispositivos para testes direto no browser. Além do Valence, existem outros tantos recursos, como um WebIDE, um editor de textos mais simples (uma espécie de notepad), um modo de visualização responsivo e etc.

O visual também recebeu mudanças nessa versão, contando com cores mais escuras, que agrada muito usuários do Sublime e afins, tornando como foco a concentração no código visualizado.

Abaixo veja algumas das novidades:

A novidade pode ser encontrado nesse link.

Tattoo adere a modelo de negócios online

A cada dia aparecem novos sites/plataformas/app com propostas inovadoras para solucionar muitos dos serviços “offline” da nossa vida. E o que apareceu recentemente é o Tattoodo, um site feito para tatuadores e pessoas que querem tatuagens. Com ele o usuário pode solicitar desenho de qualquer tatuador (cadastrado) ao redor do mundo.

Simples assim:

tattoo-flow

Você descreve a ideia da sua tattoo; Recebe mais ou menos 10 desenhos; Paga pelo desenho escolhido; Agora é pegar o desenho e tatuar em qualquer loja próxima (e de qualidade) perto de você.

A solução é fantástica e muito inovadora, o que pode causar um certo estranhamento entre os tatuadores, principalmente pelo fato de que quem vai tatuar, raramente será quem criou o desenho. Isso pode de certa forma reduzir a qualidade do trabalho, afinal quem desenhou tem uma técnica e forma de trabalho específica.

É esperar para ver. Quem está por trás do site é profissional reconhecido mundialmente, como é o caso do tatuador Ami James, ainda mais popular pelos reality show Miami Ink e NY Ink.